Caldeirão Encantado de Anwamanë


Quarta-feira , 18 de Junho de 2008


Vivendo a Lua Cheia de Cada Mês


A Lua Cheia exerce grande poder sobre a nossa vida e deve ser celebrada de modo especial. Aí estão os rituais realizados na primeira noite de Lua Cheia de cada mês do ano. Fique de olho no calendário e celebre a Lua!


JANEIRO: Comemore a primeira Lua Cheia do ano acendendo uma vela branca no primeiro degrau de uma escada de sua casa (pode ser uma escada simbólica, feita com livros, por exemplo). Isso significa que você está disposto a receber todas as Luas do ano com amor e fé. A Lua agradecerá e um importante elo de Magia se fará entre vocês.

FEVEREIRO: A Lua Cheia de Fevereiro pode presentear você com um mágico amuleto. Colha sete folhas de árvores diferentes e deixe-as "dormindo" sob uma pedra da lua nesta noite. Na manhã seguinte, coloque as folhas em um saquinho da cor do seu signo e leve-o com você. Este amuleto lunar tem o poder de aumentar nosso magnetismo pessoal.

MARÇO: Este é o mês do Ritual dos Elementais. Para atraí-los faça nessa noite uma "cara de maçã" utilizando cravos-da-Índia para fazer os olhos, nariz e boca. Coloque a maçã em um recipiente com um pouco de água e deixe dormir no batente da sua janela. Esta antiga brincadeira atrai os elementais, que trazem ao lar a Magia e a alegria.

ABRIL: Na Lua Cheia de Abril, devemos fazer uma Magia em homenagem aos Elfos. Coloque em sua janela doces e balas coloridas dentro de um círculo feito com açúcar e vá dormir. Dizem que, nesta noite, os elfos saem para dançar e agradecem sua oferenda, proporcionando dias de muita alegria.

MAIO: A Lua Cheia de Maio deve ser dedicada à busca do amor verdadeiro. Se você ainda não encontrou o seu, esta é uma boa oportunidade. Nesta noite, olhe para a Lua e peça que ela lhe traga o seu amor verdadeiro. A Lua de Maio é a Lua dos Amantes. Dizem que, do alto, ela sempre encontra a nossa metade e traz até nós.

JUNHO: A Lua Cheia de Junho tem de ser bem festejada! Dizem que esta é a Lua da alegria, da dança e da música. Nesta noite divirta-se com a Lua! Vista-se de branco, coloque uma música e dance a Dança da Lua com seus próprios passos, obedecendo sua intuição. A Lua emocionada vai agradecer. E é incrível como esse ritual tem o poder de nos revigorar!

JULHO: A Lua de Julho é a Lua das Crianças, a Lua de contar histórias. Uma lenda antiga diz que quem contar uma história muito bem contada para alguém, nesta noite, constrói seu destino, pois a Deusa Lua tem, neste dia, o poder de transformar as histórias contadas em histórias reais. A criatividade é seu instrumento; e o resultado, seu destino!

AGOSTO: A Lua Cheia de Agosto é a Lua da Fertilidade. Faça uma Magia com esse fim. Peça um caminho fértil e próspero fazendo nesta noite o plantio simbólico dos grãos. Pegue onze grãos diferentes e enterre-os nessa noite. Eles simbolizam o potencial que todos temos. Peça à Lua que transforme esse potencial em realizações. Esta é a noite ideal para isso.

SETEMBRO: A Lua de Setembro ensina uma Magia amorosa muito especial. Faça um desejo de amor. Coloque em um pires sete pétalas de rosas e deixe-as sob o luar. No dia seguinte, verifique quantas pétalas foram levadas pelo vento. Quanto maior o número de pétalas levadas, maiores as chances de ver seu desejo realizado.

OUTUBRO: Esta é a "Lua das Bruxas". Aproveite e faça uma Magia antiga. Acenda uma vela branca e peça paz, uma rosa e peça amor, e uma amarela e peça prosperidade. Do lado de cada vela, deixe um botão de rosa da mesma cor. No dia seguinte, ofereça o botão branco para quem precisa de paz, o rosa para quem precisa de amor e o amarelo, prosperidade. É oferecendo que se recebe. A grande sabedoria está em saber dividir.

NOVEMBRO: A Lua Cheia de Novembro é a "Lua do Portal", pois é por ela que os seres mágicos que invadiram nosso mundo (Haloween) voltam para seus mundos encantados. Devemos despedir-nos deles agradecendo por todas as alegrias que deixaram. E se nesta noite puder observar a Lua, verá uma pequena multidão de seres entrar por ela.

DEZEMBRO: A última Lua Cheia do ano ensina uma Magia de fé. Nesta noite, faça uma lista com todos os desejos que realizou durante o ano. Conte quantos foram, enterre um grão qualquer para cada desejo realizado e agradeça à Deusa da Magia. peça a renovação de sua fé para que, no próximo ano, muitos outros "grãos de desejos" possam ser plantados.

Categoria: HD das Sombras e do Espelho
Escrito por Finduilas Anwamanë às 16:07:44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Conectando com Bast

    Ao amanhecer, porém antes do Sol nascer, volte-se para o leste ao ar livre. Contemple este momento mágico da natureza e quando o Sol estiver levantando, eleve um olho de Hórus em direção ao Sol e diga a seguinte invocação:
 
"Mãe dos Deuses, Una, a Única
Senhora das Coroas, tu que reges tudo
Sekhmet é teu nome quando tu és colérica
Bast, amada, é o seu nome quando é aclamada pelo seu povo.
Filha do Sol, com chama e fúria,
Flamejando sobre a proa do inimigo;
Seguramente veleja o barco com tua proteção.
Filha do Sol, câmara do enterro,
As mentiras da escuridão, na tua luz aparecem.
Do trono do teu de silêncio nos envia conforto,
Bast, amada, que bane todos os nossos medos.
Mãe dos Deuses, quando nenhum Deus existia
Tu que deu a vida a eles.
Sekhmet do bardo,
Que pisoteia todo o mal e toda a discussão,
Mãe dos Deuses, a grande, a amada,
Forte e poderosa. Nós a invocamos,
Tu que és nomeada de Confortadora e Governante,
Bast, amada, a Mãe de todos nós. Nós a invocamos."
 
Faça um pedido a Bast e leve o olho de Hórus para dentro de sua casa e pendure-o em um lugar de destaque, para que assim todo o seu lar seja abençoado pela luz da Deusa.

Categoria: HD das Sombras e do Espelho
Escrito por Finduilas Anwamanë às 11:50:16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Bast

BAST
A Deusa Gata 
 
    Dizia a lenda que a Deusa Leoa Sekmet, após ter dizimado parte da humanidade, fora apaziguada e se transformara numa gata mansa. A terrível leoa bebedora de sangue se transformou em Bast, a gata bebedora de leite.
    A Deusa egípcia com cabeça de gato, Bast, era uma divindade estritamente solar até a chegada da influência grega na sociedade egípcia, quando se tornou também uma Deusa lunar devido aos gregos que a associaram a Artemis. Datando da 2a. Dinastia (em torno de 2890-2686), Bast foi retratada orginalmente como uma gata do deserto selvagem e também como uma leoa e só foi associada a felinos domesticados por volta de 1000 a.C. Ela foi comumente equiparada a Sekhmet, a Deusa Leoa de Memphis, Wadjet e Hathor. Bast era a "Filha de Rá", uma designação que a colocou no mesmo patamar de Deusas como Maat e Tefnut. Adicionalmente, Bast era considerada um dos "Olhos de Rá" enquanto o outro olho era atribuído a sua irmã Sekmete.
    Bast é freqüentemente representada como uma gata ou como uma Deusa com corpo de mulher de cabeça de gata, portando um sistro, um Ankh, ou um bastão de papiro.  Quase nunca é mostrada em aspecto humano total.
    Conhecida primeiramente como A Gata Selvagem ao longo das margens do Nilo, ou A Gata do Deserto, Bast a princípio não era representada como uma gata doméstica, forma que lhe fora atribuída em períodos mais recentes.
    Para os egípcios os gatos representavam o Sol, a Rainha e também a Lua.  Encontramos inúmeras representações do gato sagrado do Deus Rá comendo a serpente das sombras. Em razão disso, Bast passou a ser considerada a Deusa protetora  do Faraó, além de a Grande Vingadora.
    Em anos mais recentes, Bast foi associada a outros Netjer (Deuses egípcios antigos), como Het-Heret (Hathor) e Aset (Íris). A associação a estas duas Deusas lhe foram atribuídas devido aos seus atributos (música, sensualidade, fertilidade e artes). Por este motivo, o papel de Bast começou a mudar, e se estendeu também para a protetora das mulheres, crianças e famílias.  Neste momento, o papel do gato no Egito Antigo também começou a mudar para um parceiro mais doméstico, o que conferiu um  estigma mais suave a Bast.
    Depois, em tempos helenos, o nome Bast foi associado a Ísis: (Ba-Aset) Ba = alma/Aset = Ísis (Bast = alma de Ísis).
    O culto a Bast já era praticado na 1a. Dinastia. Ela hora homenageada com longas procissões à luz de tochas e com mistérios sagrados, como a Deusa da Magia e Tecelagem, Aquela que não nasceu, mas gerou a si mesma. Os egípcios celebravam o banquete de Bast com músicas alegres, dança e bebida numa esta de alegria e prazer total, onde seus adoradores balançavam um sistro durante a celebração para homenageá-la.
    Os gregos compararam Bast com Diana e Ártemis e Hórus com Apolo; por isso Bast foi incluída posteriormente nos mitos de Osíris-Íris como sua filha (essa associação, porém, nunca foi feita antes da chegada da influência helênica ao Egito). Ela é considerada a mãe do Deus com cabeça de Leão Mihos (que também foi adorado em Bubástis, com Thoth).
    Bast também está ligada a Sekmet, e em tempos modernos, Bast e Sekmet passaram a ser Deusas gêmeas, faces de uma mesma moeda. As lendas dizem que Thot teria apaziguado a voracidade sangüínea de Sekmet, dando-lhe cerveja para beber em vez de sangue (outras versões dizem que ele lhe deu leite). Sekmete então se transforma em Bast, a Deusa dos festivais, da sensualidade e da bebedeira. Juntas, as irmãs gêmeas formam o conceito do "Yin/Yang" da religião egípcia:  Bast como a força positiva de natureza amorosa e apaziguadora, e Sekmet como a força destrutiva e sanguinária.
    O fogo estava associado a Bast e Sekmet. Enquanto Sekhmet representava o aspecto negativo-devorador do fogo do deserto (o Sol), como o olho de Rá que queima e executa, Bast representava os aspectos regeneradores do Sol, como o olho de Rá que aquece e traz fertilidade. Bast não era apenas uma divindade associada ao Sol, mas também à Lua, isso porque ela é uma Deusa egípcia vinda do Oriente (leste) e tanto o Sol quanto a Lua nascem no leste e morrem no oeste. A Deusa Bast, por seu parentesco com a Lua, insere-se no mundo unitário do Grande feminino. O gato com olhos brilhantes é um animal lunar, daí a relação de Bast com a cor verde e as mulheres grávidas.
    Além de estar ligada ao fogo, ela também estava ligada aos grandes volumes de água.  Era tida como o céu noturno e aquela que abre os caminhos, levando consigo a chave dos Deuses da fertilidade, a chave dos porões do útero, do mundo interior, da morte e do renascimento.
    Outra face popular de Bast, é a sua forma terrestre, um gato preto sentado. Quando ela assume essa forma, passa a assumir o nome de Bastet. É também conhecida como Pasht (em seu aspecto escuro). É identificada com Ártemis e Diana, além de ser o gentil olho do Sol, a Senhora do Leste. Gatos lhe eram sagrados e embalsamados quando morriam. Ela carrega um sistro e uma cesta e normalmente se veste de verde. Deusa do Fogo, da Lua, do parto, do amor, da sexualidade, do êxtase, da fertilidade, do prazer, da alegria, da música, da dança, da proteção contra as doenças de todos os animais que lhe são sagrados (especialmente os gatos). Domina a intuição, a cura e o matrimônio.
    Bast é a Deusa egípcia protetora de gatos, mulheres e crianças. Ela é a Deusa do Amanhecer e do Nascimento. Também é a Deusa da Lua e possuidora de Utchat (o olho do seu irmão Hórus).
 
 
 CORRESPONDÊNCIAS:
Invoque Bast para: alegria, fertilidade, proteção, expansividade, força, saúde, prazer, sexualidade, amor, proteção contra maus espíritos, proteção de animais.
Símbolos: sistro, Lua, Sol, Ankh, Olho de Hórus
Dia: domingo
Cores: verde, laranja, dourado, amarelo
Aroma: açafrão
 

Categoria: Deusas e Seres Encantados
Escrito por Finduilas Anwamanë às 11:48:49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

ANKH

Ankh, conhecida também como cruz ansata, era na escrita hieroglífica egípcia o símbolo da vida. Conhecido também como símbolo da vida eterna, era usada pelos egípcios para indicar a vida após a morte.

Hoje, é usada como símbolo pelos neopagãos e também para obtenção de vida plena, sucesso e proteçãoFunciona melhor se for feito de madeira, metal e faiança.

A forma do ankh assemelha-se a uma cruz, com a haste superior vertical substituída por uma alça ovalada. Em algumas representações primitivas, possui as suas extremidades superiores e inferiores bipartidas.

Ao que tudo indica, surgiu na Quinta Dinastia egípcia. No túmulo de Amenhotep II, vemos o Ankh sendo entregue ao faraó por Osíris, concedendo a ele o dom da imortalidade, ou o controle sobre os ciclos vitais da natureza, ou seja, o início e fim da vida. Em algumas situações, é encontrado próximo a boca das figuras dos deuses, neste caso significa um Sopro de Vida. Na tumba de Tutankhamon, foi encontrado um porta-espelho na forma de Ankh, já que a palavra egípcia para espelho também é Ankh. Sua presença também é marcante em objetos cotidianos, como colheres, espelhos e cetros utilizados pelo povo do Egito.

Quanto ao seu significado, há várias teorias.

Muitas pessoas vêem o ankh como símbolo da vida e fertilidade, representando o útero.

Em outras interpretações, representa a união entre as divindades Osíris e Ísis, que proporcionava a cheia periódica do Nilo, fundamental para a sobrevivência da civilização. Neste caso, o ciclo previsível e inalterável das águas era atribuído ao conceito de reencarnação, uma das principais características da crença egípcia.

Há ainda quem o veja como representação do laço da sandália do peregrino, ou seja, aquele que quer caminhar, aprender e evoluir.

A alça oval que compõe o ankh sugere um cordão entrelaçado com as duas pontas opostas que significam os princípios feminino e masculino, fundamentais para a criação da vida. A linha vertical que desce exatamente do centro do laço é o ponto de intersecção dos pólos, e representa o fruto da união entre os opostos.

O ankh manteve sua popularidade, mesmo após a cristianização do povo egípcio a partir do século III. Os egípcios convertidos ficaram conhecidos como Cristãos Cópticos, e o ankh (por sua semelhança com a cruz utilizada pelos cristãos) como um de seus principais símbolos, chamado de Cruz Cóptica.

Apesar de sua origem egípcia, ao longo da história o ankh foi adotado por diversas culturas. No final do século XIX, o ankh foi agregado pelos movimentos ocultistas que se propagavam, além de alguns grupos esotéricos e as tribos hippies do final da década de 60. É utilizado por bruxos contemporâneos em rituais que envolvem saúde, fertilidade e divinação; ou como um amuleto protetor de quem o carrega. O ankh também foi incluído na simbologia da Ordem Rosa-Cruz, representando a união entre o reino do céu e a terra. Em outras situações, está associado aos vampiros, em mais uma atribuição à longevidade e imortalidade. Ainda encontra-se como uma alusão ao nascente-poente do Sol, simbolizando novamente o ciclo vital da natureza.

Simbolo da Vida
Simbolo da Vida

O ankh popularizou-se no Brasil no início dos anos 70, quando Raul Seixas e Paulo Coelho (entre outros) criaram a Sociedade Alternativa. O selo dessa sociedade possuía um ankh adaptado com dois degraus na haste inferior, simbolizando os "Degraus da Iniciação", ou a chave que abre todas as portas.

Categoria: Vivendo a Arte
Escrito por Finduilas Anwamanë às 11:10:55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Amuleto

AMULETO
O amuleto é um objeto que foi deixado em seu estado virgem e psiquicamente carregado, com um propósito específico. Os amuletos são passivos em suas habilidades para comunicar padrões de energia. Eles só reagem ou retalham quando algo atravessar suas barreiras. Por exemplo, a ferradura pendurada sobre a porta só traz sorte àquele que passar por baixo dela.
Quase todo objeto simbólico - pedras especiais, conchas, esculturas de madeiras, estátuas - pode ser convertido em um amuleto. Para carregá-lo, segure-o, pense sobre o que deseja que o objeto represente e visualize-o, fazendo com que ele se torne um símbolo desse conceito, impondo-lhe sua atenção.
 
 
Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sabrina, Editora Madras
 

Categoria: Vivendo a Arte
Escrito por Finduilas Anwamanë às 10:42:11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Propriedades mágicas e encantamentos com plantas relacionadas ao elemento Terra

 
Madressilva: dinheiro, proteção. Use óleo de madressilva para atrair dinheiro. Misture o óleo com pouco de verbena para proteção. Queime incenso de madressilva na noite de Lua Nova para atrair dinheiro.
 
Magnólia: fidelidade. Use óleo de magnólia para manter fiel a pessoa amada. Queime incenso de magnólia no quarto para garantir um relacionamento fiel.
 
Patchouli: dinheiro, sensualidade. Use óleo de patchouli para incitar a paixão na pessoa amada ou desejada.
 
Verbena: proteção, purificação, juventude. Misture os óleos de verbena e patchouli e use-os como véu de proteção poderosa. Misture verbena com sálvia para limpar sua casa de influências negativas. Uma gota de óleo de verbena dentro de seu travesseiro fará com que você se sinta sempre jovem.
 
Vetiver: amor, sorte, dinheiro. Use uma gota de vetiver para atrair amor e dinheiro.
 
Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sabrina, Editora Madas

Categoria: Cozinha e Armário da Bruxa
Escrito por Finduilas Anwamanë às 10:22:22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Propriedades Mágicas e Encantamentos com Plantas Relacionadas ao Elemento Fogo

Pimenta da Jamaica - dinheiro, sorte. Use o óleo de pimenta da jamaica para aumentar a sorte. A pimenta da jamaica pode ser adicionada ao incenso para atrair dinheiro.

Manjericão - amor, riqueza, proteção. Coloque manjericão na comida ou salpique ao redor da casa para atrair amor. Leve um pouco em uma bolsinha para atrair dinheiro e riqueza. Faça uma guirlanda de manjericão amarrada com fita vermelha e preta para proteção.

Cravo (a flor) - força, cura. Use óleo da flor de cravo para ganhar força física. Adicione-o ao franco-incenso e queime, para proporcionar cura.

Franco-incenso: espiritualidade. Queime óleo de franco-incenso para consagrar os lugares de rituais. Esfregue este óleo em velas que serão usadas no altar.
 
Galangal: dinheiro, sensualidade, proteção, poder psíquico. Espalhe galangal em pó pelo chão para atrair boa sorte e dinheiro. Carregue consigo pedaços de galangal para atrair dinheiro. Ele também pode ser queimado como incenso para aumentar os poderes psíquicos e espalhado embaixo da cama para despertar sentimentos de sensualidade.
 
Heliotrópio: desejos, dinheiro, cura. Use heliotrópio para atrair dinheiro. Queime incenso de heliotrópio para atrair dinheiro e realizar desejos.
 
Laranja: adivinhação, amor, sorte, prosperidade. Misture casca de laranja seca, pétalas de rosa e botões de lavanda para fazer um sachê de atrair amor. Passe na testa óleo de laranja antes de tentar qualquer arte de adivinhação. Misture laranja e pimenta da jamaica e use para boa sorte.
 
Alecrim: amor, sensualidade, cura, proteção. Queime alecrim e lavanda para proteção e cura. Coloque um ramo de alecrim debaixo do travesseiro da pessoa amada para ela sonhar com você. Esfregue óleo de alecrim em velas verdes para atrair amor e sensualidade.
 
Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sadrina, Editora Madas

Categoria: Cozinha e Armário da Bruxa
Escrito por Finduilas Anwamanë às 10:19:57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Banho de Ervas para Yule

 

- Pétalas de 3 rosas brancas

- Galhos de manjericão

-1 colher de café de pó de gengibre

- 8 folhas de boldo

 

Desbaste os galhos de manjericão para deixar só as folhas. Em seu caldeirão ou em uma bacia, de preferência de ágata branca e nunca de plástico, coloque um pouco dágua, as pétalas de rosa, as folhas de manjericão e as folhas de boldo e esfregue as folhas na água como se estivesse esfregando uma peça de roupa. Quando as folhas estiverem bem diluídas e você sentir que a energia da água mudou, acrescente o pó de gengibre e mexa, com a mão em círculos no sentido horário.

Categoria: HD das Sombras e do Espelho
Escrito por Finduilas Anwamanë às 00:08:28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Terça-feira , 17 de Junho de 2008


Ritual de Yule

Ritual de Yule para praticantes solitários

Você vai precisar de:
- 1 vela representando a Criança da Promessa (pode ser dourada, amarela ou branca)
- 1 vela verde
- 1 vela vermelha
- taça com vinho
- seu caldeirão
- incenso de pinho ou outro típico do ritual (ver post abaixo)

Coloque a vela dourada (ou da cor que você achou melhor) dentro do caldeirão. Verifique se ela está bem fixa. Em seguida, coloque a vela vermelha ao lado direito de seu altar e a vela verde do lado esquerdo. Acenda o incenso.

Trace o círculo mágico da maneira como você costuma traçar e diga a seguinte invocação:

Eu hoje celebro o nascimento da Criança da promessa!
A Deusa é Mãe e eu invoco os espíritos da luz!
O Sol renasce!

Acenda a vela vermelha que está ao seu lado direito e diga:

Com esta vela eu honro os espíritos do Fogo!

Acenda a vela verde e diga:

Com esta vela eu honro os espíritos da Natureza!

Acenda a vela que está dentro do caldeirão e diga:

Com esta vela, que está no ventre da Deusa, na escuridão, eu celebro e honro a Criança da Promessa que nasce agora e traz a volta da luz!

Pelo poder e pela luz,
Eu celebro e dou as boas-vindas ao filho da Deusa, que é o Sol renascido. Seja bem-vinda, criança divina!

Entoe um cântico em homenagem ao Deus renascido ou leia algum texto sagrado em sua homenagem, podendo ser a Carta do Deus. Medite sobre as características deste momento na Natureza e em sua vida e quando achar que está bom, diga:

Abençoados sejam a Deusa e o Deus que giram mais uma vez a Roda da Vida. Dou as boas-vindas ao inverno e celebro o movimento eterno da Natureza.
Que o Sol volte a brilhar cada dia mais, e que todos sejam beneficiados com isso!

Eleve a taça com vinho e diga:

Eu bebo este vinho em homenagem à Deusa e à Criança Que Nasce!

Beba o vinho e faça uma saudação aos deuses, agradecendo a eles pelo ritual.

Finalize da maneira como está acostumado e destrace o círculo.

Categoria: HD das Sombras e do Espelho
Escrito por Finduilas Anwamanë às 23:46:57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Escrito por Finduilas Anwamanë às 22:32:10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Yule

21 de junho no hemisfério Sul e 21 de dezembro no hemisfério Norte

 

Também conhecido por Natal, Ritual de Inverno (meio do inverno) e Alba Arthan, esse é o Sabat do Solstício de Inverno, a noite mais longa do Ano. A partir desse dia, o Sol se aproxima da Terra e as noites passam a ser mais curtas, sendo a escuridão vencida pela luz, ou o Deus do Azevinho (Senhor das Sombras) vencido pelo Deus do Carvalho (o Rei do Sol, a Criança da Promessa).

É quando a Deusa, celebrada em seu aspecto de Grande Mãe dá à luz seu Filho-Deus, honrado como a Criança da Promessa, renovado e forte, que vem para trazer Luz ao mundo e livrá-lo da escuridão da morte ocorrida em Samhaim.

No hemisfério Norte, a data é comemorada em 21 de dezembro e foi aproveitada pela religião Cristã para determinar o nascimento de Jesus Menino, que veio ao mundo como um Deus criança, com promessa de alegria, salvação e renovação. O Natal Cristão é, nada mais, que uma cópia do Natal Pagão, celebrado muito antes da era Cristã.

Tendo deixado o velho morrer e o desgastado ir embora em Samhain, em Yule é tempo de reencontrar a esperanças, pedindo para que os Deuses rejuvenesçam nossos corações, concedam novas oportunidades, força e coragem para deixarmos o novo nascer em nossa vida, sem medo do desconhecido e imprevisto. Seja qual for a dificuldade enfrentada no momento, é hora de confiar na Luz que está nascendo para solucionar os problemas e vencer os obstáculos.

São também celebrados o amor, a união da família e realizações do ano que passou.

Fase ideal para realização de feitiços e amuletos voltados para a proteção.

Coloque flores e frutos da época no altar. Acenda velas para celebrar o retorno da luz,  de preferência vermelha e verde-escuro como símbolo da Grande Mãe e do Deus Menino. Pode ainda fazer
guirlandas e enfeitar árvores,  costumes praticados pelos pagãos, que tinham a árvore como sagrada, a ponto de nomear os meses.

São ervas, árvores, frutas e flores típicas do Yule, o louro, a hera, a camomila, o alecrim, o cardo-santo, a sálvia, o zimbo, o pinheiro (lembrando da árvore de natal montada no hemisfério norte), o azevinho, o olíbano, o junípero, a castanha, a maçã, a pera, o melão, a uva, a noz, a sempre-viva, o visco, o musgo, o carvalho e a salvia. É costume servir carne de porco e peru assado, além de vinho, champagne e chá de gengibre e hibisco.  As cores são dourado, vermelho, branco e verde-escuro. Pedras usadas: olho-de-gato, granada e rubi. Incensos: Mirra, Absinto, Pinus, Almiscar e os produzidos com as plantas, ervas e flores do ritual.

Categoria: Vivendo a Arte
Escrito por Finduilas Anwamanë às 22:28:32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Amor, maçã e mel

Em um mês no qual a Lua Cheia durar 7 noites, na primeira noite de Lua Cheia faça um buraco em uma das extremidades de uma maçã bem vermelha, arrancando a polpa. Tenha o cuidado para não danificar a maçã.

Em seguida coloque a fruta sobre um pires e fixe uma vela rosa no orifício formado na maçã.

Derrame o mel na maçã dizendo: “que esta maçã me traga o amor, e que este mel me sirva com louvor para o amor”. Depois repita três vezes com fé: “Eu tenho sorte no Amor”.

Acenda a vela e deixe-a queimar.

Essa magia deverá ser repetida por três dias sempre com a mesma fruta, mas trocando as velas a cada dia. Passado esse período, guarde a maçã por mais três dias e no sétimo dia deposite-a numa praça.

 

IMPORTANTE: O Ritual não pode alcançar a Lua Minguante, portanto só faça quando a Lua Cheia durar 7 Noites e deposite a maça exatamente na 7a. noite.

 

Categoria: HD das Sombras e do Espelho
Escrito por Finduilas Anwamanë às 22:02:58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, CACHOEIRA PAULISTA, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese

Histórico